[FP] Robert B. Fontana

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Mensagem por Robert B. Fontana em Seg Maio 06, 2013 1:31 pm

---ROBERT---brant----FONTANA


{Por trás do Personagem... }
    O seu criador!


Nome do Jogador: Felipe

Idade: 17 anos

Há quanto tempo joga em RPGs? Em quais joga/jogou? Acho que eu jogo há uns dois anos. Agora lembrar quais é outro assunto... q

Como ficou sabendo do Age Of War: Uma player amiga minha me mostrou o fórum (não lembro quem foi) e resolvi entrar

Frequência na qual entra: Esses dias eu não estou entrando muito, mas o normal é pelo menos uma vez por dia

Outros personagens: Nope

Forma de contato: Mensagem de Íris, coruja, sinal de fumaça ou MP -q

---------------------------------------

{O Personagem}
    A estrela principal

Nome Completo: Robert Brant Hunter Fontana

Apelido: É chamado de Rob, ou de Hunter. No navio, os piratas o chamam de Fontana, e os mais próximos, de Hunter mesmo

Grupo: Híbridos/Piratas

Família: Fontana

Reino: Atualmente, não possuo um reino do qual possa me aliar

Arma: Punhal de prata, pequeno, perfeito para ser escondido na bota, ou às pressas, na calça + Sabre de mesmo material, com uma extensão média, e a ponta afiadíssima


---------------------------------------

{Família}
    Sem ela não existimos.

Nome de Familiares: William Fontana (Pai - Humano) + Carmem Elizabeth James (Mãe - Ninfa)

Status Social: Rico


---------------------------------------

{Personalidade}
    Bom, ruim?

Personalidade: Não há muito o que falar sobre Robert. Não se sabe muito sobre seu passado, já que o híbrido odeia falar sobre o mesmo. A única pista que se tem é uma marca, um símbolo, que fica protegido pelas roupas, logo entre as omoplatas. É uma cabeça de águia, de tamanho relativamente médio. Parece ter sido marcado a ferro, ou talvez, talhado na pele do rapaz, com uma faca. Não se sabe o certo. Ele está quase sempre sorrindo, o que poderia ser considerado algo bom, mas não é. Seu sorriso é, muitas vezes, o motivo pelo qual se mete em problemas sem parar. É um sorriso sarcástico, irônico, desafiador. Robert é o típico pirata que não consegue seguir regras, podendo agir impulsivamente, mesmo sabendo que isso colocará aqueles que se importa (que são pouquíssimos) em perigo. Ele é sempre desafiador, assim como teimoso e orgulhoso, então se colocarem uma espada em sua garganta e mandarem ajoelhar-se, o loiro irá preferir morrer

Qualidades: Hunter não possui muitas qualidades. Ele pode ser extremamente gentil às vezes, assim como um ótimo protetor, podendo defender aqueles que julga necessitarem, porém logo que vê a tarefa completa, ele volta a ser o canalha de sempre. Também é um exímio espadachim, o que pode ser uma enorme desvantagem para seus inimigos. Outra qualidade sua é que o garoto é extremamente ágil, conseguindo correr ou esquivar-se de qualquer coisa com facilidade, sem fazer esforços. Por fim, ele possui seu próprio código de honra, e o que está como destaque no mesmo é a sua palavra. Quando promete algo, ele o cumpre, o que pode acabar sendo tanto uma qualidade, quanto um defeito

Defeitos: Bom, Robert apenas possui três defeitos: sua arrogância, sua habilidade de mentir e a sua incrível habilidade de encantar qualquer garota que quiser. E aqui, explicarei as três. Muitas vezes, o loiro se mete em confusões por causa de sua arrogância, que está sempre presente ali, e com ela, seu orgulho. Ele examina tudo com um ar de superioridade, o que pode, por muitas vezes, incomodar pessoas superiores a ele. Mentiroso e criativo, consegue inventar uma história maravilhosa, com detalhes pequenos, e encantar qualquer um, porém, com esse "dom", também vem seu impulso de quase sempre mentir, como se fosse uma espécie de proteção a si mesmo. Por fim, é um canalha com qualquer menina que botar os olhos e achar... Interessante, para não dizer outra coisa. Com poucas palavras sedutoras e românticas, consegue levar qualquer uma para a cama, ou seus aposentos, sem a menor dificuldade. São poucas as que conseguem resistir a seu charme, e quando o fazem, tornam-se apenas mais um entretenimento para Robert, que gasta seu tempo cortejando-as, "dando em cima", e o que quer que seja. Ele afora um desafio, especialmente quando a mulher que deseja é casada, ou compromissada

Desejos: Ele possui um desejo: ter seu nome conhecido por todos, ter seu nome sussurrado escondido em qualquer lugar, fosse por admiração, ou por medo. Para ele, não importa

Medos: Robert possui um medo: afeiçoar-se por alguém. Para ele, a vida sempre foi solitária, sempre cheia de segredos. Para ele, não vale a pena compartilhar todos eles com outra pessoa. A desconfiança é muito grande

---------------------------------------

{Localização}
    Onde você está?

Onde nasceu: O garoto não sabe de onde veio ao certo, mas sabe que foi de alguma parte de Harsnok.

Onde mora atualmente: Ele tenta visitar todos os lugares, por isso que está sempre mudando-se, levando seu navio consigo. Possui uma pequena tripulação, todos leais, que o seguiriam até o fim do mundo, caso fosse preciso

Idade: 20 anos

Data de nascimento: dia 27, de Dezembro, do ano de 1338

---------------------------------------

{Seu corpo}
    Tente ser sincero...

Cabelos: Robert tem cabelos loiros (escuros nas raízes) rebeldes, o que lhe faz ter a aparência de alguém que acabou de acordar, mais um tópico que contribui para o seu charme natural. Os fios são ligeiramente cacheados, embora há algumas vezes que são lisos. Não passam de sua nuca

Olhos: Os olhos são azuis, e estão sempre brilhando, seja de humor ou de curiosidade, excitação, ansiedade, o que for. Você nunca o encontrará sem seu brilho próprio

Porte físico/ peso/ altura: Graças ao treinamento sofrido desde criança, Hunter possui um porte bem desenvolvido, mas não a ponto de ser extremamente musculoso, e sim, de um jeito sutil, mas útil em qualquer batalha corpo-a-corpo. Sua altura é relativamente alta, passando um pouco da média, embora não muito

Marcas de nascença e/ou outros: Como já fora mencionado, Robert possui uma cabeça de uma águia no meio de suas omoplatas, sempre bem escondida pelas roupas

Photoplayer: Huntes Parrish

---------------------------------------

{História}
    Seu passado nos pertence...

Quando o choro de um bebê recém-nascido ecoou pelo quarto, William deu um sorriso. Era um garoto! E o garoto iria ser seu herdeiro. Seu primeiro filho! Mal ele sabia que, enquanto segurava o garotinho, a mãe guardava essa última memória em sua cabeça, antes de sucumbir à escuridão, à morte.
Os próximo anos foram extremamente difíceis para o pai, que estava de luto por Carmem, mas que tinha que cuidar do filho, apenas um bebezinho. E a única forma que ele conseguia se distrair era ensinando o pequeno, desde que aprendera a andar e a falar, a utilizar a espada.
E com isso, a infância de Brant deu uma guinada. Ele não brincava mais com bonecos de madeira. Não, sua distração era acostumar-se com o peso do sabre. Quando queria divertir-se, tentava correr pela "casa", apesar de cair e machucar-se dezenas de vezes. O pai sempre estava lá, não para ajudá-lo a se levantar, mas sim para repreendê-lo por suas lágrimas.
- Não chore. Levante-se e tente novamente - ele dizia.
Assim, Brant aprendeu, desde pequeno, que a vida não era fácil. E que ele deveria batalhar por aquilo que desejava.
Quando fez dez anos, o pai deixou o garoto assumir o navio nas águas calmas, e começou a ensiná-lo leitura de mapas, perigos do mar, e suas obrigações. Ainda assim, Hunter não deixou de praticar com armas brancos, tornando-se o espadachim perfeito que é hoje. Você deve estar se perguntando o porquê de eu estar chamando-o de Brant, e não de Robert. A resposta é fácil; Brant é o seu nome de nascença, junto com Fontava e Hunter. Robert foi forjado, para que ele não precisasse se lembrar do passado. Mas sempre estaria lá.
Enfim, agora, a pergunta principal deve ser: como William tem um navio, certo? Bom, o que quase ninguém sabe é que o pai de Brant era (ou melhor, foi), na verdade, um nobre. Não se sabe ao certo de qual reino, ou terra, mas ele era poderoso e rico. Isto é, até que suas terras foram amaldiçoadas, e ele teve que ir embora, levando consigo todo o dinheiro que possuía. No caminho do descobrimento de novos lugares, conheceu Carmem. Ela mudou sua vida.
Agora, voltando à história do loiro: ele viveu dessa maneira até os quinze anos, quando seu pai morreu.
Morrera envenenado, e quando Brant descobriu quem foi o responsável, matou-o. Logo, assumiu o posto do pai, sendo conhecido como Robert. Passou a beber, brincar com mulheres e seus sentimentos, aprendeu mais sobre a arte da sedução, aprendeu como poderia usufruir de sua habilidade hipnotizadora, e como aprimorar seus golpes.
Hoje em dia, vive pelo prazer de explorar coisas novas, saquear pequenas aldeias, apenas para zarpar para longe e nunca mais voltar e quebrar corações de jovens. De vez em quando, ao interessar-se pelo lugar, fica por mais do que uma semana, mas nunca mais do que isso. E, é claro, vive por seu código de honra. Aqui vão alguns tópicos do mesmo:
Nunca quebrar uma promessa. A honra é a mais importante de todas; Nunca batalhar contra um homem sem armamentos, a não ser que o mesmo ofendeu sua honra; Nunca mostrar fraquezas.


---------------------------------------

{Teste de ação}
    Testando suas habilidades...

Lá estava ele, comendo uma maçã no convés de seu navio de tamanho modestamente médio. Com o tempo, havia aprendido a não chamar muita atenção a si mesmo. Os cabelos balançavam com a leve brisa salgada que provinha do mar, deixando em seus lábios gotículas minúsculas de sal. Ele deixou que o costumeiro sorriso circundasse seu rosto. Fechou os olhos, apoiando uma das mãos na lateral do corpo, usando seu sabre como apoio. A arma nunca saía de perto do jovem capitão.
Mas é claro que algo tinha que estragar seu breve momento de calma.
- Hunter! Temos um problema! - rolou os olhos ao reconhecer a voz. Era um velho companheiro, Erik, um dos marinheiros que haviam jurado estar com ele para sempre e adiante. Sua voz, despojada, e carregada de humor sarcástico soou pelo navio, alta e clara:
- O que foi, Erik? Não consegue encontrar suas calças? - o outro riu, mais despreocupado agora.
- Na verdade, temos dois idiotas no porto, exigindo querer falar com o capitão que supostamente "se aproveitou das suas mulheres". Imagino que esse seja você - um sorriso malandro brincou pelos lábio do loiro. O mesmo assentiu e saiu de onde estava, deixando a bainha do sabre frouxa, caso fosse utilizá-lo, o que aconteceria, se suas habilidades diplomáticas não surtissem efeito.
Quando desceu ao porto, reparou que seus homens tentavam conter dois outros, com apenas uma espada cada, e expressões furiosas nas faces. Ele fez uma reverência zombeteira, como se estivesse tirando um chapéu da cabeça.
- Muito prazer. Sou Robert. O que desejam comigo, cavalheiros? - a fala causou risos pela pequena aglomeração que havia se juntado, ansiando por um combate.
- QUEREMOS VINGANÇA! OUSASTE APROVEITAR-SE DE NOSSAS MULHERES ENQUANTO ESTÁVAMOS TRABALHANDO NO CAMPO! - gritou um dos inimigos. Os marinheiros cutucaram-se e assoviaram para Hunter, já acostumados com as ações de seu capitão.
- Desafiamos você para um combate! Aceite ou fuja, covarde! - o silêncio estabelece-se. As pessoas comuns silenciaram-se por estar esperando pela resposta, e os marinheiros por conhecerem o rapaz. Sabiam qual seria a resposta. Conheciam-no bem. Sabiam que não iria recusar. Hunter não admitia ser chamado de covarde.
O pirata deixou que um sorriso predador lhe dominasse. A mão acariciou o punhal do sabre.
- Até a morte?
As pessoas vibraram. Queriam sangue. Um dos homens hesitou, e então, berrou em resposta:
- Até que o adversário esteja inconsciente! - o outro grunhiu, concordando.
Erik sabia que Robert começaria com as provações.
- Eu contra os dois? Não acham um pouco injusto?
- Claro! O que acha de--
- De chamar mais duas pessoas para lutar com você? Acho fantástico. Somente assim a luta ficará equilibrada, não é mesmo, rapazes? - a fala saiu ácida e rápida. O híbrido estava perdendo a paciência, mas esforçava-se para não demonstrar. Ao invés disso, jogava conversa fora, com zombarias.
Irritado, o mais compulsivo dos dois atacou, mirando a barriga desprotegida do jovem esguio. Foi bloqueado por uma lâmina afiadíssima na garganta. Todos prenderam a respiração. O movimento fora rápido demais. Ninguém esperava por essa. Enquanto isso, o loiro apresentava uma expressão perigosa, quase mortífera. Seus olhos azuis encontraram-se com os do atacante. E a voz saiu hipnotizante. Ninguém ousava fazer um pio sequer. Estavam muito ocupados absortos na cena.
- O que acha de parar de atacar? - e foi exatamente o que ele fez, apenas para receber um gancho de direita do pirata, o que fez com que o homem caísse ao chão, batendo a cabeça contra o piso de madeira envelhecida, com um estrondo.
Porém, antes que alguém pudesse absorver o que haviam acabado de presenciar, um grito de fúria foi ouvido e Hunter cambaleou para trás, despreparado para o soco que lhe havia sido dado. Erik deu um passo a frente, atento. O responsável pelo soco tremia. Foi aí que o loiro riu. Massageou o maxilar e encarou fixamente seu oponente. E então, rosnou.
- Bom soco.
E então, atingiu o homem com o pé, na barriga. Com força demais. Quando o mesmo ajoelhou-se, ele o pegou pela camisa e o olhou com fúria, falando baixo:
- Bom até demais - o punhal de prata foi retirado de seu esconderijo com habilidade e apontado para a garganta do homem.
- Quer viver? Te dou uma chance. Pegue seu companheiro, esse verme do chão e vão para as suas casas, esqueçam de mim. Vão cuidar de suas esposas. Mas eu juro que se eu os vir novamente, não hesitarei em cortar sua garganta para fora, está me entendendo? - o pobre homem assentiu com a cabeça, desesperado.
Os dois encararam-se por muito tempo, até que Robert colocou um sorriso em seu rosto. Tão facilmente que foi difícil acreditar que aquelas palavras haviam acabado de sair de sua boca.
Ele virou-se, e deixou o porto, indo em direção ao navio. A multidão dispersara-se, alguns ficando para ajudar o homem, outros voltando a seu trabalho. Erik e os marinheiros o cumprimentaram, elogiando pelo combate, ou zombando dele por ter sido atingido por um mero camponês. Ele apenas sorria e devolvia os comentários.
Por fim, quando foi deixado sozinho, uma mulher foi falar com ele. Era ruiva, com curvas perfeitas, e um sorriso malicioso no rosto.
- Gostei do show. Sou Anna. O senhor é? - ele sorriu para ela.
- Me chame de Robert. É um prazer conhecê-la, Anna.
Pelo jeito, Fontana ainda demoraria para deixar seu hábito de colecionar mulheres e brigas, mas não é como se ele planejasse deixar o hábito. Oh, não. Ele estava apenas começando.
E então, segurando a cintura da ruiva atraente, caminharam em direção à casa dela, enquanto o Sol se punha. Teriam que ser rápidos. O marido dela chegaria em algumas horas. Fontana planejava deixá-la antes que isso acontecesse. Pretendia zarpar assim que a mulher lhe satisfizesse, sem nunca mais pisar naquela terra.

thanks, @


P.S.: Me desculpe pelo tamanho da história. Ficou meio pequeno porque eu não tinha muita inspiração, mas espero que o resto da ficha esteja bom o bastante.




avatar
Informacion
Mensagens : 1
Data de inscrição : 05/05/2013

Ficha do personagem
Raça: Híbrido
Classe:: Pirata
Ofício:
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Carolinne Harvelle em Sab Maio 11, 2013 10:06 pm
Ficha Aprovada

Seja bem vindo,Robert.
Mil desculpas pela demora em avaliar a sua ficha,é que meu tempo para entrar está muitoo reduzido e não sei onde andam meus administradores x.x
Bem,espero que se divirta por aqui,precisando de algo mp-me!
Att.:Carolinne


"Today was a fairytale.Can you feel this magic in the air?"
Carolinne Harvelle
avatar
Informacion
Mensagens : 367
Data de inscrição : 20/07/2011

Ficha do personagem
Raça:
Classe::
Ofício:
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Informacion