[FP] Blair E. Vandenhoff

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Mensagem por Blair E. Vandenhoff em Qui Fev 14, 2013 9:02 pm

---Blair---Eileen----Vandenhoff


{Por trás do Personagem... }
    O seu criador!

Nome do Jogador: Nathalya
Idade: 14 anos
Há quanto tempo joga em RPGs? Em quais joga/jogou? Há mais ou menos dois anos. Já joguei em diversos RPGs, tendo como maioria fóruns de PJ.
Como ficou sabendo do Age Of War: Parcerias.
Frequência na qual entra: Todos os dias... Praticamente.
Outros personagens: Apenas esta.
Forma de contato: Por MP.
---------------------------------------

{O Personagem}
    A estrela principal

Nome Completo: Blair Eileen Vandenhoff
Apelido: -
Grupo: Híbridos, Elfo com humana.
Família: -.
Reino: Kallin.
Arma: Arco Longo de Prata e Aljava [Como diz o nome, o arco é inteiramente feito de prata adequando-se a qualquer tipo de flecha, incluí-se junto ao arco uma aljava com uma centena de flechas simples - sem qualquer efeito mágico -, e uma centena é o número de flechas que a aljava suporta.]
Leque Florido [O leque é de tamanho médio, preto enfeitado com diversas rosas vermelhas espalhadas pelo objeto usado como arma (e ao estilo oriental), há três hastes de metal duas nas pontas e uma no meio, estas mantenham-se escondidas por dentro do material do leque e aparecem de acordo com os movimentos de mãos de Blair.]


---------------------------------------

{Família}
    Sem ela não existimos.

Nome de Familiares: Erudhir Eldamon, seu pai, cujo é um elfo; Christine Vandenhoff, sua mãe, uma camponesa que reside em Kallin; Jane Vandenhoff, tia de Blair e irmã de Jane, também é uma camponesa e reside em Kallin; Blair tem uma irmã a qual não possui conhecimento, seu nome é Skye Eldamon, e o encontro das duas é o que dará seguimento à trama das irmãs por parte de pai.
Status Social: Classe média.

---------------------------------------

{Personalidade}
    Bom, ruim?

Personalidade: Adora chamar atenção, tal como não puxara a timidez de seu pai Elfo, porém, como uma híbrida de elfos ainda assim possui uma beleza deslumbrante, estonteante, o que faz com que lhe deem mais atenção. É um pouco ciumenta, tenta não se importar com o que os outros pensam a seu respeito, mas são tentativas falhas, importando-se mais do que gostaria. É muito orgulhosa, razoavelmente ambiciosa e sarcástica, na maioria das vezes encontra-se sempre animada. Um pouco desastrada, exagerada e muito dramática com quase tudo e todos. Mas por outro lado, Blair é uma ótima pessoa, corajosa e gentil com todos. Carinhosa com os que ama, importa-se ao máximo e é capaz de tudo - ou quase - para que não os veja tristes.
Qualidades: Blair está sempre de bom humor, e mesmo que não esteja é capaz de mostrar um sorriso em situações difíceis para a mesma. Corajosa não tem medo de enfrentar suas dificuldades e desafios. E como descrito em "Personalidade" é capaz de qualquer coisa - ou quase - para não ver as pessoas que ama tristes.
Defeitos: Um pouco desastrada às vezes, é capaz de tropeçar até mesmo em piso plano. Por vezes a ambição pode não ser um defeito, já que é sempre bom saber o que deseja da vida... Seu lado sarcástico faz com que não leve as coisas tão a sério quanto o necessário, podendo irritar qualquer um. Blair importa-se com o que pensam a seu respeito, coisa que não lhe faz muito bem, principalmente quando pensam coisas ruins da mesma.
Desejos: Talvez descobrir sobre seu passado, pois a moça sente que não sabe de tudo e tampouco sabe se o que lhe contam é a verdade.
Medos: Blair tem um medo num tanto bobo de altura, mas certamente não é uma fobia. Contudo, seu maior e real medo é perder Jane, sua mãe e futuramente Skye quando elas se conhecerem...
---------------------------------------

{Localização}
    Onde você está?

Onde nasceu: Blair nasceu no reino de Kallin.
Onde mora atualmente: Atualmente ainda reside em Kallin.
Idade: 20 anos.
Data de nascimento: 03 de Outubro de 1337. (Lembrando que o nosso RPG é de Idade Média e nos encontramos no ano de 1358)
---------------------------------------

{Seu corpo}
    Tente ser sincero...

Cabelos: Cabelos castanhos e lisos, comprido chegando a até um pouco abaixo dos seios.
Olhos: Olhos também castanhos e redondos.
Porte físico/ peso/ altura: Blair possui 1,65 de altura, magra, curvas delineadas... Uma ótima estatura física.
Marcas de nascença e/ou outros: Tem uma pequenina tatuagem em seu pulso direito, semelhante a uma cruz.
Photoplayer: Selena Gomez.
---------------------------------------

{História}
    Seu passado nos pertence...


Blair é fruto de uma união entre um elfo e uma humana, o que diria-se ser proibido para a preservação da raça dos elfos, mas quando se apaixona de verdade é inevitável, certo? Pois foi o que aconteceu com os pais de Blair mesmo sabendo que não era correto.

05 de Outubro de 1337

Chris levantou-se rapidamente da cadeira com sua filha recém-nascida nos braços, alguém batera na porta e ela havia ido ver quem era, após abrir a porta deparou-se com o pai da menina, Erudhir, o qual não havia aparecido no nascimento da menina e nem no dia seguinte, e aquilo já enchera Christine de decepção em relação ao homem, embora ainda tivesse bons pensamentos e tentava ser compreensiva com ele mesmo que na maioria das vezes não funcionasse. Erudhir olhava para Blair que estava nos braços da mãe, um sorriso formou-se em seus lábios e tentou tocá-la na bochecha, mas a ação repentina de Christine afastando-se do mesmo para que este não a tocasse o assustou um pouco, logo suspirou profundamente e perguntou gentil: - Qual o nome dela? Posso entrar?

- É Blair! - respondeu, olhando para a filha que dormia tranquilamente, - Blair... Um belíssimo nome... - elogiou o elfo, encantado, e Christine continuou - Sinto muito, Erudhir, mas não pode. Por obséquio, vá embora! - pediu ela, com algumas lágrimas escorrendo de seus olhos. Porém, o elfo não desistiria tão facilmente do "perdão" de Chris pelo que ele fizera, e se colocou entre a porta na hora que a mulher ia fechá-la. - Sei que lhe devo inúmeras explicações, vou tentar explicá-las, por isso, dê-me a chance de me desculpar, somente uma... - implorou sincero, Christine sempre fora muito encantada por Erudhir, era por isso que sempre em brigas dos amantes, ela cedia sempre que o elfo viesse lhe pedir desculpas. A bela camponesa por sua vez, cedeu mais uma vez e deixou-o entrar. - Tens pouco tempo, melhor se apressar. - sugeriu, e foi até o quarto para colocar Blair em seu berço, logo voltara para a sala e começara a ouvir o que o elfo tinha a dizer.

- Chris, sabes muito bem quem eu sou, o que eu sou... E, não podemos, não devemos ficar juntos. Seria um risco, e devo manter isso em segredo, ninguém além de mim pode saber da existência dessa criança, ou melhor, não podem saber que eu sou o pai dela, sofreríamos consequências por isso. Não quero que nada e ninguém faça mal à vocês, e é pelo bem de vocês que não é seguro que eu fique aqui, acredite eu gostaria muito... - lágrimas escorriam pelo seu rosto, a dor de dizer aquilo que parecia ser um adeus era enorme, mas não havia muito a fazer pelo bem das duas e aquilo era tudo. - Eu poderia visitá-la no aniversário dela? - perguntou referindo-se a Blair e dirigindo-se à porta. - Melhor não, isso a confundiria. Não precisa procurá-la... Nunca mais, Erudhir. Não quero que isso lhe traga problemas. - sua voz soara um pouco fria, o que foi mais doloroso.

Os dois já estavam chorando, afinal, ainda se amavam, o pobre Erudhir abaixou a cabeça e foi embora. Ao ouvir a porta se fechar Christine desabou a chorar, correu até seu quarto e deitou-se na cama com o rosto entre o travesseiro ainda chorando, assim fez até dormir.

E desde então, Blair teve uma infância e adolescência nem tão normal quanto outras crianças, pois mãe e filha sofriam de desaprovação de todos por Christine ser mãe solteira, mas ela conseguira superar tudo, e criar uma bela filha com a ajuda também de sua irmã Jane, que sempre soube do relacionamento de Chris com o Erudhir e nunca concordou, mas o mantinha em segredo para ajudar aos dois.


---------------------------------------

{Teste de ação}
    Testando suas habilidades...

- Tia Jay! – gritou Blair animada com a chegada de sua tia Jane – ou Jay -. Jane havia ficado viúva há pouco tempo e por isso decidira passar algum tempo junto de Christine e Blair, esta chorara por dias intermináveis e Chris já não aguentando mais ver a irmã naquela situação chamara-a para morar consigo, Jay não tinha filhos tanto que ela e o falecido marido conversavam sobre o assunto antes da morte do mesmo.

- Blair, querida! - exclamou a tia não exatamente com a mesma animação da sobrinha, - Meu Deus, como você está linda, Blair. – elogiou-a logo após um abraço, não se viam havia alguns anos, mas a desculpa sempre fora que moravam distante demais para frequentes visitas. Blair lisonjeada apenas sorriu feliz com o elogio. Jay virou-se para Chris e torcendo para que não começasse a chorar fora abraçá-la, Christine retribuindo seu abraço sussurrava no ouvido dela que tudo ficaria bem e ela superaria aquilo como ninguém. Aquelas palavras tão sinceras e cheias de carinho deixaram Jane um pouco mais tranquila.

Blair já com seus dezesseis anos era matura o suficiente para entender o que estava acontecendo, e por isso decidira fazer o necessário para não ver sua tia a chorar, embora soubesse que naquela situação não havia nada que conseguisse tirar aquela dor da mulher. - E então, minha linda sobrinha já tem algum pretendente para que possa se casar? Afinal, já tens dezesseis anos, certo? Ou melhor, já devia ter um pretendente desde que nascera, mas quem deveria arrumar algum não estava aqui... - lembrou Jay referindo-se à Erudhir. – Jane! – repreendeu-a Christine, qualquer assunto sobre o pai de Blair ainda a abalava um pouco.

- Pretendentes? Não acha meio cedo para isto? – certamente a menina não entendia muito sobre se casar em plenos dezesseis, embora visse esse tipo de coisa quase sempre, garotas se casando na adolescência e ainda se considerava velhas as que em pequenos casos se casavam já na maioridade. – Muito do contrário, minha amada Blair. Já está é tarde, deveria estar se casando ainda hoje, se for dar algum exemplo. – respondeu Jane com um pouco de humor. – Mas sobre aquele deveria encontrar algum pretendente para mim, refere-se a... – Blair vacilou um pouco, lembrou-se então que ela não tinha um pai, ou era o que ela pensava, sua mãe nunca contou-lhe o que acontecera com o homem ou qualquer coisa sobre ele, e por isso ela mesmo decidiu que para ela, que o mesmo havia morrido.

– Refere-se a meu pai, não é, tia Jane?

Christine olhou para a irmã e revirou os olhos, foi até sua filha conduzindo-a a se sentar no sofá – Está mais do que na hora de eu lhe contar sobre seu pai... – a mãe respirou fundo e continuou – A verdade é que seu pai não é um humano, Blair. É um elfo, e por ser esta criatura mágica ele tinha outras responsabilidades para com sua espécie, e foi por tal motivo que ele teve de se afastar de nós. Mas diferente do que eu sei que você pensava, creio que ele ainda está vivo, filha. – contou, Blair não teve qualquer reação, pois não sabia se estava feliz por saber que ele estava vivo e por ser um elfo, ou com raiva por ele te-las deixado, nenhum sentimento de felicidade ou raiva se manifestou, era apenas indiferente, talvez a informação veio à tona e por isso ela precisava de tempo para pensar.

Chris levantou-se e foi até a um armário próximo, abriu uma das portas e tirou com cuidado um arco inteiramente de prata junto com uma aljava, a mãe voltou para onde a filha estava e entregou em suas mãos, Blair olhou-a como se perguntasse o que era, e Christine paciente explicou-lhe como aquilo “chegara”. – Encontrei isto na porta há treze anos atrás, veio com um bilhete dizendo para eu entregá-lo à você quando você me mostrasse de alguma forma que estava pronta para isso, não dizia de quem era o bilhete, mas como um arqueiro nato, eu diria claramente que o presente é de Erudhir, seu pai. – Blair não aguentou mais, começara a chorar, abraçou o arco e já sabia o que aquilo representava para ela, talvez uma declaração do quão seu pai se importava com ela. Logo em seguida abraçou a mãe, e Jane as abraçou também formando um abraço coletivo.
Em segredo Blair planejava encontrar seu pai, e trabalha nisso até hoje.


Observação:
Eu não sabia qual era a punição para a união proibida entre um elfo e uma humana, então acabei citando isso só que indiretamente. Se algo não condizer com a descrição da raça, avisem-me e eu arrumarei. Obrigada.

---------------------------------------
thanks, @


Blair Eileen Vandenhoff
She wants me to come over, I can tell her eyes don't lie, She's calling me in the dark, She moves, I swear the room. Around her lights up like the sky, Confidence like a rockstar. Tonight. I found you, in the darkest hour; I found you, in the pouring rain; I found you, when I was on my knees; And your life brought me back again; Found you in a river of pure emotions; I found you, my only truth; I found you and the music played.WOMH
avatar
Informacion
Mensagens : 2
Data de inscrição : 05/02/2013

Ficha do personagem
Raça:
Classe::
Ofício:
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Carolinne Harvelle em Sex Fev 15, 2013 1:13 pm
Um Pequeno Detalhe!

Seja bem vinda,Blair!
Gostei muito da construção de sua história,contudo os elfos(as),assim como as ninfas possuem uma ligação com a natureza e ao quebrarem uma de suas leis,como a preservação e reprodução da espécie são punidos por esta e pelo líder,perdendo sua magia e as forças vitais que a mãe natureza lhe fornece.
Peço que faça a edição,como caprichaste na história vou adicionar você aos grupos para que fique liberada para postar.
Qualquer dúvida mp-me!
Aguardo edição!
Att.:Carolinne


"Today was a fairytale.Can you feel this magic in the air?"
Carolinne Harvelle
avatar
Informacion
Mensagens : 367
Data de inscrição : 20/07/2011

Ficha do personagem
Raça:
Classe::
Ofício:
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Informacion