Dustin Schmidt Frietzen

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Mensagem por Dustin S. Frietzen em Qui Jan 03, 2013 10:19 pm

---Dustin---Schmidt----Frietzen


{Por trás do Personagem... }
    O seu criador!

Nome do Jogador: Hugo
Idade:
Há quanto tempo joga em RPGs? Em quais joga/jogou? Isso é uma pergunta dificil... Comecei a jogar em 2009, acho. Já joguei em mais de 12 fóruns nesse tempo, a maioria de Saint Seiya e Percy Jackson.
Como ficou sabendo do Age Of War: Uns amigos me arrastaram pra cá
Frequência na qual entra: Normalmente, eu entro todos os dias pelo período da tarde/noite. Nas férias, é mais fácil perguntar quando não entro.
Outros personagens: Nope, meu primeiro person aqui.
Forma de contato: MP.
---------------------------------------

{O Personagem}
    A estrela principal

Nome Completo: Dustin Schmidt Frietzen
Apelido: Dust
Grupo: Corte de Kallin / Mago / Lobisomem
Família: Frietzen.
Reino: Kallin
Arma: Poeira, uma espada de bronze com uma intrincada bainha de prata. Presente de seu irmão Jonnathan pelo aniversário de doze anos de Dustin.


---------------------------------------

{Família}
    Sem ela não existimos.

Nome de Familiares:

Eike Sullivan Frietzen (Pai)
Helen Katherine Frietzen (Mãe)
Jonnathan Lockwood Frietzen (Irmão mais velho, gêmeo de Illyria)
Illyria Demetria Frietzen (Irmã mais velha, gêmea de Jonnathan)
Scott Edmund Frietzen (Irmão mais velho)
Aira Doreah Frietzen (Irmã gêmea)


Status Social: Classe alta, já que é filho do Mestre da Moeda de Kallin.

---------------------------------------

{Personalidade}
    Bom, ruim?

Personalidade: A palavra que melhor descreve Dustin é insensível. Ele não consegue sentir pena de ninguém, e por isso acabou se tornando um garoto manipulador e calculista. Com um talento nato para finanças e magia, ele prefere passar tempo com suas irmãs por achar que a atitude de Jonnathan e relação a mulheres é nojenta e por simples e pura falta de assunto com Scott. Adora debochar e fazer piadas sobre tudo, mesmo que sejam de um péssimo gosto. Ele também é arrogante, e despreza quase todos que não são da sua família - e talvez até alguns da mesma.
Qualidades: Esperto, decidido, sincero.
Defeitos: Arrogante, desonesto, inescrupuloso, sarcastico, manipulador, insensível, impiedoso.
Desejos: Se livrar de sua condição, que grande parte das pessoas do reino morram, que sua irmã Illyria fosse a herdeira ao invés de Jonnathan (ou que ele mesmo o fosse).
Medos: Que descubram que ele é um lobisomem, que algo aconteça com alguma de suas irmãs, que seu pai o case com uma mulher feia, que Jon se torne o mestre da moeda e lorde do castelo e leve a família a ruína e a miséria.
---------------------------------------

{Localização}
    Onde você está?

Onde nasceu: Cidade de Golbaith
Onde mora atualmente: Cidade de Golbaith
Idade: 17
Data de nascimento: 03/07/1341
---------------------------------------

{Seu corpo}
    Tente ser sincero...

Cabelos: Cabelos pretos, médios, que ele normalmente arruma em um topete bem arrumado.
Olhos: Azuis claros (a cor se mantém mesmo quando tranformado em lobo.)
Porte físico/ peso/ altura: Magro, atlético (porém não definido) e um pouco alto para a sua idade, alcançando a altura de seu irmão Jon. (como lobo)
Marcas de nascença e/ou outros:Algumas cicatrizes nas costas (todas ganhas quando este estava em sua forma de lobo, então ele não sabe em que circunstância as conseguiu)
Photoplayer: Logan Lerman
---------------------------------------

{História}
    Seu passado nos pertence...


Dustin nasceu num berço de ouro – quase literalmente. Filho do mestre da moeda do reino de Kallin, Dustin é o quinto filho de Eike e Helen, mesmo que o primeiro insista em dizer que foi ele, e não a irmã, a sair primeiro de sua mãe. Em uma famílai tão grande, Dustin foi criado quase exclusivamente pela ama e por sua mãe, já que seu pai parecia o ignorar – talvez pelo fato de que ele jamais assumiria o posto de lorde do castelo.

A única influência forte de seu pai em sua criação era marcada pelo tutor que o visitava todas as tardes e o ensinava, desde garoto, como brandir uma espada. Ainda assim, esse não era um dos talentos naturais de Dustin. As espadas sempre pareciam pesadas demais, leves demais... A única espada que Dustin se sentiu confortável usando é a que usa até hoje, ganha como um presente de seu irmão mais velho Jon, e talvez a única interação social a mais que um “oi” que os dois tenham realizado até hoje.

Dustin, porém, se encontrava nas artes mágicas, ensinadas na calada da noite por sua mãe, que nos dias de outotra havia sido uma maga bastante poderosa. Magia e teoria, essas sempre foram suas paixões, o que o afastou ainda mais do pai, que desejava que o filho fosse ao menos um membro da Guarda dourada de Kallin para trazer ainda mais renome para a família.

O garoto sempre encontrara conforto do desprezo do pai em suas irmãs, sempre achando a atitude da rebelde e livre Aira muito divertida, e sendo apoiando a irmã mais velha Illyria em tudo o que o mesma fazia – seja quando tudo o que ela fazia era querer impressionar o pai ou quando ela resolveu pensar por si só.

No seu aniversário de dezesseis anos, porém, tudo mudou para o garoto. Seu pai fez um baile para comemorar o aniversário dos gêmeos. Por um minuto, resolveu sair do salão barulhento para conversar com a irmã mais velha em paz no jardim interno que ficava no centro do castelo, um espaço a céu aberto, e olhou para a lua cheia que adornava o breu pontilhado de estrelas do céu noturno. Sentiu um formigamento em seu corpo, e sua irmã gritou. Ao olhar para as mãos, viu que elas estavam cobertas de um pelo preto e brilhante.

Isso foi a última coisa que viu, antes de acordar sem roupas em algum lugar da cozinha do castelo. Suas costas doíam de feridas, e ele se sentia exausto. Gritou pelas serviçais, mas quem o atendeu foi sua irmã Illyria, com roupas para que ele vestisse e uma história para contar, sobre como ele havia virado um lobo negro e aterrorizado a todos pelo castelo por toda a noite, e que ela era quem havia impedido que os guardas o atravessassem com suas espadas.

Ao ouvir o final da história, Dustin fez o que lhe pareceu óbvio: jogou-a na parede, encostou uma das facas da cozinha na garganta da irmã e ameaçou arrancar-lhe o útero com as próprias mãos se alguém soubesse que ele era algum tipo de aberração da natureza. Deixou a irmã sozinha no comôdo, disparando para a biblioteca de seu pai, cheia de livros raros, e num dos livros que ilustravam a história da família Frietzen (que foram obviamente encomendados pelos patriarcas da mesma), dizia-se que um dos fundadores da casa tornavam-se lobos ao luar.

Ainda assim, Dustin não estava satisfeito, e nunca estaria. Se aquilo o afetava, então por que sua irmã era normal? Por que jamais ouvira nenhuma história sobre pessoas que se tornavam lobos? Dustin fechou o livro, decidido. Iria se livrar daquela maldição. Por bem, ou por mal.

---------------------------------------

{Teste de ação}
    Testando suas habilidades...


Dustin rolou os olhos, deixando um suspiro escapar por entre os lábios. Aquela havia sido, até aquele momento,a maior audácia que Jonnathan tivera – e pode-se dizer que Jon era alguém bastante audacioso, mas deixar todos os seus irmãos esperando naquele porão escuro e fétido era o fim da picada. O irmão tanto demorou, que o mais jovem acabou engatando uma longa conversa com Scott sobre uma das últimas peças de arte que o mais velho vira, em alguma viela das ruas de Kallin.

Quando o primogênito de Eike chegou, as reações foram diversas. Illyria quase deixou escapar um sorriso, e Dustin preferiu pensar que era por que eles finalmente iriam fazer aquela procaria de ritual e ir dormir em suas camas aconchegantes. Aira rolou os olhos, e ironicamente seu irmão gêmeo repetiu o ato. Todos os dias em que Jon chegava com seu sorriso torto e um arranhão suspeito pelo rosto, o mais jovem se perguntava como o irmão ainda não havia contraído uma das doenças que as partes daquelas mulheres burras o bastante para ir para a cama com ele carregavam. Quando ele se aproximou dos irmãos, ambos disseram um “aleluia”. Dustin constatou alegeremente que não era apenas ele quem odiava aquele porão velho cheirando a sangue podre e ratos – muitas vezes se perguntara se seu olfato era melhor do que os do resto, dada a sua... Condição especial. Ele preferia pensar que não. Não queria ser uma aberração.

- Estou aqui, vamos começar. - Disse Jon, e todos tomaram suas posições em pontos sobre o círculo antigo que sua mãe desenhara antes mesmo do nascimento de Jon e Illyria. Helen Frietzen era uma maga poderosa nos dias de antes, e algo ainda mais impressionante era que ela havia passado os ensinamentos aos cinco filhos sem ser descoberta por ninguém. O ritual que estavam prestes a fazer era o mais básico que Dustin conhecia, e provavelmente o mais crucial. Sem a energia da lua, eles não poderiam fazer nada além de tentar realizar rituais, e falhar.

- COMO ASSIM VOCÊ NÃO TROUXE O SACRIFÍCIO? - Berrou Aira, e Dustin segurou o riso com a expressão confusa e furiosa que assumiu o rosto do mais velho. Assim que Jon separara os lábios, prestes a formar uma resposta, uma voz feminina chamara seu nome, seguida por barulhos na grade que escondia o local onde estavam. A jovem usava roupas infimas e contava alguma história sobre seguir Jon, mas a mente de Dustin havia parado no “roupas infimas”, e o mesmo não conseguiu reprimir um assobio melodioso. Scott fez o mesmo, o que tornou aquilo muito menos constrangedor para Dustin, que anotou mentalmente que devia um agradecimento ao irmão por aquilo.

Aira encheu os pulmões de ar ao lado dele, e estava prestes a gritar quando Jon a perguntou pela faca. Mesmo com as mãos um pouco trêmulas, a irmã de Dustin jogou a faca para o mais velho, que a pegou no ar. A garota ainda sorria bobamente, com os braços em volta do herdeiro Frietzen, mas o mesmo não devolvia a expressão. Estava mortalmente sério. Ainda com envolto pelos braços da garota, Jonnathan caminhou até o centro do círculo. Assim que seu pé tocou o intricado desenho central, a tensão na sala se tornou quase palpável.

Dustin viu, pelo canto dos olhos, os músculos de seus parentes se retesarem, ainda que entoassem os cânticos necessários para o ritual. Aquilo era algo que o garoto era incapaz de entender. Todos sabiam que a magia era uma segredo bem guardado, e que aquela garota havia visto demais para continuar viva. Além do mais, eles não sabiam seu nome, de onde vinha ou se era querida por alguém. Por que sentir pesar por um pedaço de carne? Ele não se lembrava de ninguém sentindo pesar ou mesmo piedade das ovelhas que matavam quase que mensalmente naquele mesmo lugar.

Talvez, apenas talvez, o olhar perdido da garota prestes a morrer tenha encontrado o de Dustin, e ele tenha sentido uma ponta de pena da inocência da mesma – que logo sumiu quando o mais jovem Frietzen lembrou que ela não tivera inocência nenhuma ao deitar-se com seu irmão. Quando Jon ergueu a faca sobre a cabeça da garota, ele entoou a única parte do ritual que era falada na língua comum.

-E eis que peço para repor nossas energias, a pureza recém-lavada, sangue será derramado... - Jonnathan disse, reticente, e desceu a faca sobre o pescoço da jovem. Dustin quase podia ver a pele macia cedendo ao fio da lâmina e ouvir o grito que morreu na garganta da qual agora o sangue descia em cascata por seu pescoço. Ele sacudiu a cabeça levemente, ao som do baque surdo que a jovem causou quando atingiu o chão. Quando se concentrava demais em algo, seus sentidos saíam de controle e ele percebia demais, como um constante lembrete de que ele era, de fato, uma aberração da natureza.

Os cinco irmãos continuam seus cânticos, alguns enojados pelo assassinato que acabara de acontecer na frente dos mesmos enquanto outros não poderiam se importar menos, e Dustin quase sorriu com o alívio sentido no final do ritual. Finalmente iria embora daquele porão nojento. Assim que o ritual terminara, porém, Dustin não conseguiu reprimir o comentário preso na garganta.

-E eu que pensava que apenas virgens funcionavam para sacríficios. - O jovem falou, olhando deliberadamente para o irmão mais velho enquanto um sorriso sárcastico estampava-lhe os lábios.

---------------------------------------
thanks, @[url=http://imperviousrpg.forumeiros.com/]

Spoiler:
Só pra deixar claro, meu teste de ação é o ponto de vista do meu personagem sobre o mesmo ocorrido no teste do Jon.
avatar
Informacion
Mensagens : 2
Data de inscrição : 02/01/2013
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Carolinne Harvelle em Qui Jan 03, 2013 10:48 pm
Ficha Aprovada

Seja bem vindo,Dustin!
Amei ler seu teste de ação,o jeito que escreve é bastanta agradável de ler!Estou cá pensando com meus botões como vou ter por nos três grupos no painel...
Enfim,espero que se divirta por aqui,precisando de algo mp-me!
Att.:Carolinne
avatar
Informacion
Mensagens : 367
Data de inscrição : 20/07/2011

Ficha do personagem
Raça:
Classe::
Ofício:
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Informacion