[FP] Clarssen, E. M. Ídris

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Mensagem por Ídris Clarssen em Qua Dez 19, 2012 10:59 pm

---ÍDRIS---MEGARA----CLARSSEN


{Por trás do Personagem... }
    O seu criador!

Nome do Jogador: Carlinha.
Idade: 19 ~leVelha
Há quanto tempo joga em RPGs? Em quais joga/jogou? Olha... Faz uns quatro anos. Já jogue em muitos. Harr Potter, Gossp Girl, Morganville, Vampiro - A mascara, enfim.. muuitos mesmo!
Como ficou sabendo do Age of War: Pela FEFE lynda!
Frequência na qual entra: Pretendo entrar com frequencia! :3
Outros personagens: Por enquanto, só a Ídris.
Forma de contato: MP, sinal de fumaça, telepatia.
---------------------------------------

{O Personagem}
    O Cannon

Nome Completo: Ídris Mégara Éowyn Clarssen
Grupo: Ninfa.
Família: Angelinne Clarssen. .
Reino: Neutro - Floresta Negra.

---------------------------------------

{Família}
    Sem ela não existimos.

Nome de Familiares: Kheyra Lefreve Andhora ( Mãe ) & Vince Mikaelson Clarssen ( Pai ) Angelinne Clarssen (Irmã).
Status Social: Lider das ninfas.

---------------------------------------

{Personalidade}
    Bom, ruim?

Personalidade: ídris é em poucas palavras determinada e responsável. Teve que aprender desde muita nova a se cuidar sozinha, e ainda por cima, liderar todas as ninfas da floresta em segurança. É boa, gentil com todas as criaturas, e como uma boa criatura da natureza é intensa. Quando ama ela é completamente apaixonada, quando odeia é capaz de pegar fogo e é capaz de matar ou morrer pelos seus ideias. Seus sentimentos são muito extremos, mas isso não quer dizer que ela é capaz de chegar a um meio termo quando se trata de ações práticas. Essa maturidade e racionalidade foi algo construído e frequentemente Ídris precisa de um momento sozinha na floresta para colocar suas prioridades em primeiro lugar e subjugar seus sentimentos em segundo plano, para sempre tomar a melhor decisão para o seu povo.
Qualidades: Ídris é bondosa, generosa, altruísta, sempre a disposição de todos, e completamene dedicada a suas obrigações que para ela não é obrigação nenhuma. Tem um senso de dever e justiça tão intrínseco em seu ser que qualquer sinal de injustiça a revolta e a magoa em termos absurdos. É uma ótima arqueira, o que a torna uma ótima guerreira e preenche até o último requisito como boa lider. Como se não bastasse, ídris é linda embora não tenha a menor consciência disso.
Defeitos: Por conta de sua personalidade intensa e extremista, Ídris tende a não ver as sinuosidades de comportamento alheio, e uma vez que perde o bom conceito que tem sobre alguém, está perdido para sempre. É orgulhosa e não aceitaria abaixar a cabeça para ninguém, principalmente pelo fato de que ela não suportaria estar errada. Ela se esforça para estar sempre certa, e agir sempre corretamente o que a torna um tanto perfeccionista, e pouco espontânea.
Desejos: Como boa lider que é, seu desejo é guiar as ninfas sempre em segurança e proteger a floresta de todo mal, mas como toda garota, ela deseja algo que a complete, que a faça se sentir inteira e segura, ela não sabe onde ou como irá atingir esse objetivo, já que não acredita no amor. Ela suspeita que no dia em que seu povo estiver completamente seguro esse desejo será saciado. Mas que garota se sentiria completa sem um verdadeiro amor?
Medos: Que ídris é destemida e corajosa todos sabem, mas poucos sabem que Ídris tem medo de tudo. Medo de falhar, medo de decepcionar, medo de errar, medo de não conseguir. Mesmo que ela esconda seus medo no lugar mais profundo de seu coração, eles estão ali. A cada decisão tomada, a cada questão adiada. Mas o pior dos medos que afligem a garota, é o medo de estar sozinha é que a corrói a noite.
---------------------------------------

{Localização}
    Onde você está?

Onde nasceu: Floreste Negra.
Onde mora atualmente: Floresta Negra.
Idade: 500 anos, apesar de aparentar 17.
Data de nascimento: 08 Maio de 858.
---------------------------------------

{Seu corpo}
    Tente ser sincero...

Cabelos: Os cabelos de Ídris são loiros dourados, como o sol. Os fios são finos e liso, e por serem cumpridos ( até a altura da cintura ) ficam levemente ondulados a partir dos ombros. Ela os usa sempre soltos, o que dá uma impressão um tanto selvagem, pois as vezes tudo o que se pode ver é um raio de sol correndo entre as arvores.
Olhos: Os olhos azuis topázio são levemente puxados, com traços delicados e finos quase felinos, expressivos e muito sinceros.
Porte físico/ peso/ altura: ídris é pequena, tem apenas 1,56 de altura, e pesa 45 kilos. Por ser pequena e leve se locomove muito bem na floresta, e é bastante hábil.
Marcas de nascença e/ou outros:ídris tem uma marca de nascença na nuca, que se parece um pássaro, um tom mais escuro que a pele da garota.
Photoplayer: Amber Heard.
---------------------------------------

{História}
    Seu passado nos pertence...

Seria muito clichê começar a história com "Once upon a Time" mas não seria inapropriado. Criaturas como Ídris que tem a oportunidade de viver incontáveis anos, perdem a noção do tempo, e suas história não se baseiam em datas especificas. O tempo se torna algo trivial e tudo o que se torna relevante é contado como se tivesse acontecido ontem, e não a oitenta anos atrás.
Porém, com um pouco de esforço tentarei contar a história da ninfa com a maior precisão de datas que conseguir. No dia 08 de Maio de 858, nasceu Ídris Mégara Éowin Clarssen, filha da mais amada lider das Ninfas, Kheyra Andhora e Vince Clarssen. O nascimento da pequena foi uma festa, visto que o nascimento de uma ninfa não era algo assim tão corriqueiro.
Alguns anos antes, outro nascimento fora motivo de uma festa que deixou a floresta negra em festa por exatos oito dias. Fora o nascimento da irmã de Ídris, Angelinne que trouxera tanta alegria a comunidade das ninfas.
O fato de Kheyra ser uma lider amada, respeitada e prezada entre as ninfas fazia com que a primogênita dela fosse agraciada com muitos presentes, e uma esperança de que a menina fosse tão talentosa e habilidosa quanto a mãe. Porém os anos passaram e Angelinne demonstrava pouca ou quase nenhuma aptidão para a magia das ninfas. Na verdade, a falta de magia não era a única coisa que a diferenciava. Angelinne tinha lindos cabelos chocolates, assim como o pai, totalmente diferentes dos fios loiros prateados da mãe.
Aos poucos a excitação com o nascimento de Angelinne passou, e apesar do esfriamento da atenção das suas irmãs, Kheyra nunca desistiu da filha, demonstrando a mesma atenção, dedicação e amor que ela dedicava a ninfas da floresta. No entanto, Vince mudava a cada dia. Ambicioso por mais poder, ele fez um pacto em busca de poderes magico desnaturais, transformando-se em um feiticeiro. Mesmo que ele tivesse tentando esconder o pacto de Kheyra, a ninfa percebia que seu amado não era mais o mesmo, ela percebia que havia nele ambição demais e decidiu se afastar dele, e criar Angelinne sozinha.
Vince jurou que as coisas não ficariam daquela maneira, e prometeu uma vingança contra a ninfa, e assim começou a contatar forças místicas, em busca da magia mais impura, mais negra. Ninguem sabe ao certo quanto tempo levou até que se tornasse o mago negro que se tornou, o fato é que quando Kheyra abandonou Vince, ela carregava em seu ventre outra ninfa, e assim se deu o nascimento de Ídris.
Ela - diferente de sua irmã - demostrou desde muito cedo uma afinidade incrivel com magia. A natureza e a pequena ninfa se relacionavam de uma maneira toda especial, e não era raro vê-la correndo entre as arvores, brincando com as borboletas, e em uma cena tão encantada que ninguém duvidava que ela fosse filha de Kheyra.
Ídris e Angelinne eram apesar do que se possa pensar muito ligada. Ídris assim como a maioria das irmãs mais novas, queria ser igual a irmã mais velha, e se espelhava na mesma como um guia, e mesmo que mostrasse uma disposição em magia e contato com a natureza maior que a irmã, ela sempre acreditou que Angelinne seria uma lider excepcional.
Ambas cresceram, se tornando como a maioria das ninfas, incrivelmente belas, cada uma a sua maneira. A mãe se orgulhava das duas, embora a jura de vingança do pai de suas filhas lhe perturbasse continuamente.
No entanto, era Angelinne que precisava de sua preocupação mais constante. A ninfa fugiu, renegando sua parte ninfa deixando a irmã e a mãe atônitas. Ídris no entanto foi a que mais ficou chocada.
Além do abandono da liderança que seria dela por direito, o que constituia por si só um descaso com todas as ninfas da floresta. Para Ídris, a fuga de Angelinne significou muito mais. Significou abandono, a perda de uma amiga por vontade, significava traição de tudo o que passaram juntas, e se havia algo que Ídris não podia perdoar era traição.
Depois daquele dia, Ídris passou a se esforçar para assumir um posto que a principio não era seu, mas ela julgava ser dever dela reparar a falta de consciência da irmã.
Não tinha muito o que Ídris não soubesse fazer, mas havia sempre a preocupação com a responsabilidade. Foi quando conheceu Mirella. Mirella era uma das mais antigas ninfas que existia na floresta, alguns acreditavam que ela própira havia visto todo o reino ser construido, mas ela nunca dizia a respeito, apenas era certo que Mirella ocupava a floresta negra desde que se podia lembrar. Ela serviu como conselheira e muitas vezes amiga de Ídris quando a garota tinha verdadeiros acessos de panico devido a preocupação com o futuro.Mas nem Mirella pode ajudar Ídris quando, Vince voltou a floresta.
Destemido, tomado pelo ódio e munido de um conhecimento extenso de magia negra, ele só queria uma coisa. Kheyra morta. De alguma forma, chegou em seus ouvidos de que Angelinne hava fugido, e assim todos os receios que lhe restara de querer a ex-mulher viva acabaram. Ele de algum modo julgava que Kheyra havia destratado Angelinne por ser tão parecida com ele, e que esse tratamento havia feito a garota ir embora. Por mais que todas as ninfas quisessem dar um jeito em Vince, Kheyra não permitiu, e decidiu que resolveria ela mesma esse problema, de uma vez por todas.
Não se tem muitos detalhes sobre o que aconteceu a seguir, só se soube que Vince havia usado tanta magia negra que o lugar onde a batalha ocorreu cheirava a enxofre, morte e nada mais crescia ali, as arvores tinham cores escuras por todos os acres ao arredor do fatídico lugar. E assim, sem mais explicações sobre o que acontecera, a lider das ninfas teve seus dias limitados, e morrera, não sem deixar Vince gravemente ferido, e apenas sabesse que alguns dias depois da morte de Kheyra Vince foi encontrado morto.
E assim, dentro de um período de um ano se viu sozinha. Sem mãe, sem irmã e melhor amiga, e a responsabilidade de lidar com suas irmãs ninfas batia a sua porta cedo demais. É claro que se quisesse ela podia negar, e viver como uma ninfa normal, sem obrigações e preocupações, mas isso nunca passou pela cabeça da loira.
E então, ela se tornou a mais nova lider das ninfas. Passando a guiá-las com toda dedicação e sensatez possível. E durante todos os anos que se seguiram ela cumpriu sua função maravilhosamente bem, mas nunca se sentiu completa ao realizar aquilo.
A imagem constante de sua mãe leve, segura, confiante, e principalmente feliz em tudo o que realizava era algo que ela tinha como um norte de sua bussola pessoal.Era assim que ela gostaria de ser. E um dia ela seria. Mesmo que o caminho para tal objetivo estivesse turvo, ela acreditava que um dia, podia não ser hoje, ou amanhã, mas um dia ela iria conseguir tudo o que ela queria.


---------------------------------------

{Teste de ação}

    Testando suas habilidades...

O som dos passarinhos voando e se aglomerando no topo das arvores era como um grito. As arvores se mexiam conforme o vento batia nelas, fazendo com que o cheiro de brisa fresca e orvalho enchessem minhas narinas. Respirei fundo, sentindo cada aroma que o vento podia trazer. E em uma lufada de ar, eu pude sentir o cheiro de frésias, água vinda do riacho a alguns metros, e aquele cheiro característico das manhãs que tendiam a ser bem ensolaradas.
O sol começava a nascer, e eu podia afirmar que eram quatro horas da manhã com tanta certeza quanto eu diria que meu coração batia.

Dei um pulo, saltando da pedra de uma pequena rocha, aterrizando na terra fofa e úmida graciosamente, sentindo-a em meus pés com gratidão. O cheiro quente e a vibração pesada que veio na brisa do vento me fizeram parar de imediato, congelando em minha posição de cócoras devida a aterrizagem. Num instante, todo o meu corpo tensionou, e meu instinto dizia que havia algo errado.

No primeiro instante, meu coração foi na boca e voltou, enquanto minha mente se enchia de pensamentos negativos, e então fechei os olhos, me concentrando não me permitindo entrar em panico sem nem ter motivos. Respirei fundo algumas vezes, quando aquele cheiro quente voltava a me abater. Era um animal, porte médio ou talvez grande. Algo estava errado, e eu esperava que o que quer que fosse não tivesse nada haver com armadilhas. Não que eu tivesse problemas em desfazê-las.. O problema era lidar com o dono da armadilha.

Retirei o arco e flecha das costas, e me puis a correr o mais rápido que eu conseguia. Me esquivava das arvores com maestria, afinal a no máximo cinco décadas depois do meu nascimento eu já havia decorado a localização de cada raiz da floresta, o que me fazia ainda mais rápida ao me locomover.

Meus ouvidos ouviram o choro do animal, atrás de alguma arvores, e então posicionei o arco na altura dos olhos, atenta a qualquer barulho ou movimentação ao redor. Minha respiração era quase inexistente, e eu poda muito bem ser passada despercebida por todos os animais da floresta. Assim que eu tive certeza que estava segura, dei meio passo pra frente, saindo de detrás das arvores, dando de cara com um cervo extremamente alto, que estava preso entre duas rochas. Demorei dois segundos para abaixar o arco, a espera de um ataque surpresa que não veio. Enfim, guardei o pedaço de madeira nas costas, e então fui até o cervo.

Fechei os olhos, colocando minhas mãos em cada lado da rocha que prendia o pobre animal. Me concentrei o maximo que pude, me ligando-me as energias da rocha, a cada molécula que a constituía, e então um barulho de algo se rachando me fez abrir os olhos, e ver que a rocha havia se ajustado para que o cervo pudesse sair, e ele o fez, e saiu correndo para a floresta.

Sorri para ele, satisfeita por tê-lo ajudado, e então em menos de dois segundos, Mikah, Erin e Talulah estavam atrás de mim, como se estivessem ali o tempo todo já que sua chegada não pode ser ouvida nem sentida por ninguém apenas por mim. - Ouvimos o cervo, achamos que não tinha ninguém por perto. - Elas se explicaram olhando a rocha, como se o deslocamento de poucos centímetros fosse perceptível a olho nu.

Em resposta apenas dei de ombros e sorri gentilmente. - Eu cuidei dele.. - Expliquei embora o fato já fosse óbvio, e elas concordaram com a cabeça o que tornava a coisa toda redundante. Eu já estava prestes a me sentir envergonhada por algum motivo, quando a cabeça das três viraram para a esquerda como se fossem subitamente chamadas por alguem naquela direção.

Meus olhos se estreitaram e então segui o olhar das três o que me fez ver uma série de arvores escuras, embora continuassem vivas. A terra era escura como se tivesse chovido a noite inteira, mas seca como se não visse água a gerações. Senti um arrepio varrer minhas costas, quanto pouco a pouco eu assimilava que lugar era aquele.

Percebi pela visão periférica que as três agora me fitavam e esperavam que eu falasse algo, e então por mais que meus olhos não conseguissem se desviar daquele lugar, eu me virei para elas, dando as costas para aquela parte da floresta que eu sempre evitava ir. - Vamos embora. - Elas não questionaram, e me seguiram até onde a mata ficava mais fechada e então eu fui deixada sozinha para ficar com meus pensamentos. Mesmo que na floresta negra nós nunca estivéssemos completamente sozinhos.
---------------------------------------



Ídris Megara Clarssen

Never is an awfully long time
Thanks Thay Vengeance @ Cupcake Graphics
avatar
Informacion
Mensagens : 10
Data de inscrição : 10/12/2011
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Kwan Finn Donovan em Qui Dez 20, 2012 12:41 am
Ficha Aprovada!

Antes de tudo, seja muito bem vinda, Idris! Gostaria de frizar meu extremo gosto e vontade de ler suas fichas! Além disso, tudo ok em relação à trama e tudo mais. Qualquer que seja as suas necessidades aqui no fórum, pode perguntar, questionar ou falar comigo, estou às suas ordens!

Sds. Kwanianas
avatar
Informacion
Mensagens : 182
Data de inscrição : 25/05/2012

Ficha do personagem
Raça: Abantesma Maléfica
Classe:: Sentoki
Ofício: Cavaleiro Negro
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Informacion