A Ilusão Imortal

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Mensagem por Lucien Ford em Qua Nov 28, 2012 12:47 pm
Capítulo 1



- Vamos acorde... – Tais palavras foram seguidas por um balde com água bastante gelada no rosto do jovem Lucien. Esse era o tratamento que o garoto recebia por seu mestre Torin todos os dias desde que ele decidirá iniciar seu treinamento de ilusionismo. Lucien levantou num sobressalto e se sentou no chão, o sol ainda não havia surgido no céu, então ele logo passou sua mão sobre o rosto.

- Ainda estamos na hora do lobo, porque me acordar tão cedo? – O jovem indaga.
- Nunca é tarde para iniciar um novo dia, aprenda isso logo. – Responde o mestre.

Lucien estava com 16 anos, seis anos de treinamento lhe renderam bons conhecimentos e um bom porte físico. Não viviam parados em um lugar, eram nômades e em cada cidade, cada estrada ele aprendia uma nova lição, desde criar uma pequena borboleta em sua palma da mão como alterar cores de flores, ou então até transformar uma pedra em um sapo e vice-versa, tudo na intensão de impressionar o público e confundir suas mentes. Ele mesmo perguntará várias vezes a seu mestre era um mago ou um feiticeiro, mas as únicas palavras de seu mestre sobre isso eram.

- Magos e Feiticeiros utilizam espíritos para conseguirem seus poderes, nós ilusionistas utilizamos da mente alheia para nossos “truques”, nunca se esqueça disso.

Naquela manhã Lucien e Torin foram até a beira do lago onde estavam acampando e lavaram o rosto e tomaram um leve café-da-manhã com pão seco e um pouco de vinho para ajudar a engolir. Lucien não era muito a favor da bebida, ainda mais aquele que tinha um gosto péssimo, mas era o que tinham. Naquela tarde iriam se apresentar para um vilarejo próximo e tinham esperança de lucrar com algo.

- Torin, qual será o show de hoje?
- O de sempre, pássaros, flores e as juras de amor de uma bela donzela.

Lucien encarava seu mestre com certa inveja, logo depois de todos os shows Lucien vira seu mestre se esgueirar para algum beco escuro com uma donzela, ou então uma prostituta. Jovens damas sempre eram atraídas por mágicos ou ilusionistas, era uma espécie de atração incontrolável, era uma das poucas coisas boas de ser ilusionista. Ele mesmo já se envolvera com uma donzela, aos 14 anos, quando fez sua primeira apresentação sobre a supervisão de Torin, chegara a se deitar com a jovem, sua primeira noite, e partirá na manhã seguinte com Torin para a próxima cidade, as próximas lições, próximos truques e próximos amores. O dia passou rápido, Lucien treinou novos truques, ele queria aprender o truque que seu mestre usou quando se viram pela primeira vez, ao se tornar vários pássaros e aparecer em outro lugar. Ele realizara aquele truque com coisas pequenas, mas nunca com ele próprio... O sol ficou alto no céu, ele e seu mestre foram para a cidade, estava na hora de lucrar com o pequeno espetáculo. Tudo correu normalmente, Torin realizara grandes truques e Lucien o acompanhava com alguns números, aumentando a quantidade de moedas lançadas para os dois. Logo Lucien tinha um prato de comida farta enquanto Torin saíra para ter com outra donzela. Ao por do sol ambos já estavam deixando o vilarejo, se dirigindo para a próxima vila, daqui pra lá Lucien teria dominado seu truque. Para chegar á próxima vila eles tinham de passar rente a floresta negra, lugar que Lucien temia e por tal motivo seu mestre evitava. Naquela noite uma batalha acontecia na floresta, bruxas, feiticeiros e ninfas, lançando feitiços e maldições, sendo que uma dessas acarretou numa enorme tempestade, que atingiu ambos os ilusionistas, lançando-os para longe, separando-os...


Lucien Ford
A ilusão está nos olhos de quem vê
18 anos ♦ Ilusionista ♦ Harsnok
avatar
Informacion
Mensagens : 34
Data de inscrição : 25/11/2012
Localização : Cidade de Kraft

Ficha do personagem
Raça: Humano
Classe:: Ilusionista
Ofício:
Ver perfil do usuário
Ilusionistas

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Lucien Ford em Qui Nov 29, 2012 12:11 pm
Capítulo 2


Lucien acordou coberto de lama e folhas, se levantou e percebeu que seu corpo estava com algumas escoriações e arranhões, mas nada quebrado. Olhando ao redor se deu conta de que não estava mais na estrada, foi quando recordou que houvera uma tempestade repentina que arrastou tudo por onde passou, incluindo ele.

- Torin? – Ele chamava por seu mestre. Foi nessa hora que ele se deu conta que na tempestade ele fora lançado para longe, e olhando ao redor ele se deu conta de que estava na floresta negra. O pânico lhe abateu em cheio, mas ele não correu e nem correria. Tinha medo de errar o caminho e se perder ainda mais ali naquele lugar obscuro. De repente ele ouve um barulho nas folhas próximo a ele.

- Quem está ai? – Ele estava um pouco amedrontado, poderia ser alguma criatura sinistra, mas ele ouve fracas palavras das folhas.

- Me... Me a... Ajude... – E o som cessou. Lucien atordoado correu na direção do som e encontrou uma garota, ela deveria ter sua idade, com longos cabelos negros como a noite e um rosto tão belo, mas que naquele momento estava sujo por uma enorme tira de sangue que brotava de sua cabeça. Prontamente Lucien retirou sua camisa e começou a cuidar do ferimento, tentando parar o sangramento e limpar seu rosto, e ela realmente era ainda mais bela do que ele imaginava.

Horas mais tarde, o sol já se pondo, Lucien observa a garota abrir os olhos, próximo a uma fogueira que ele tinha improvisado para protegê-los do frio. Olhando para ele e para a fogueira ela se levanta assustada e volta a se sentar, voltando logo a se sentar devido à tontura que a abateu.

- Não se mova ou seu ferimento irá abrir novamente. – Ele soava de maneira cuidadosa, e ainda sim temendo o que uma garota como ela estava fazendo naquela floresta.

- Quem é você? – Ela falava nervosa, até que se tocou que ele não se movera desde que ela acordou e que estava sem camisa, fato que ela não deixou de notar. - Você quem me ajudou? Er... Onde está sua camisa?

- Você pediu por ajuda quando caiu aqui perto, usei minha camisa pra limpar o sangue em seu rosto e depois disso fui lavar num lago que encontrei vindo da direção que você veio. Ele respondia todas as perguntas que ela lhe fazia, mas não tirava os olhos de seu rosto, tão belo, angelical, ele estava preso em um encanto imaginário.

- Como se chama? – Ela lhe arrancará do transe.

- Me chamo Elric, e você como se chama? E o que faz nessa floresta? – Ele não revelaria seu primeiro nome, nessas ocasiões usava o sobrenome de sua mãe.

- Eu me chamo Tiffany, e eu sou uma ninfa...


Lucien Ford
A ilusão está nos olhos de quem vê
18 anos ♦ Ilusionista ♦ Harsnok
avatar
Informacion
Mensagens : 34
Data de inscrição : 25/11/2012
Localização : Cidade de Kraft

Ficha do personagem
Raça: Humano
Classe:: Ilusionista
Ofício:
Ver perfil do usuário
Ilusionistas

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Lucien Ford em Qui Nov 29, 2012 1:12 pm
Capítulo 3



Rapidamente Lucien pulou para longe da fogueira e da garota, como se tivesse visto um fantasma.

- Uma ninfa?

- Sim, sou uma ninfa, porque, algum problema? – Tiffany o encarava com certa desconfiança no olhar.

Durante todo o tempo em que Lucien esteve treinando as técnicas de ilusionismo, ele tentara esquecer a risada daquela Ninfa que o avisara sobre sua mãe, mas tal coisa era impossível de esquecer. Mesmo agora, seis anos depois, olhar para aquela ninfa totalmente diferente da anterior era como relembrar o passado. O olhar dela o afetara, coisa típica daquela raça, prender humanos sobre encantamentos misteriosos de romance e morte para ambos, mesmo sabendo que era proibido e ainda sim completamente amedrontado, Lucien queria tocá-la, confortá-la e amá-la, mas tal união era impossível devido a magias tão antigas e poderosas que nem mesmo o mais poderoso dos magos ou feiticeiros jamais tentou contornar ou desfazer. Ainda mantendo certa distância ele olha para a garota e fala.

- Uma ninfa há muito tempo fez uma previsão tão pavorosa que o simples fato de você estar aqui me faz querer correr para longe, mas também lhe ter em meus braços agora mesmo sobre a luz da lua, devido a sua grande beleza. – Lucien falou aquilo de maneira tão... Forçada, que ele só podia afirmar que era parte do encanto que aquele olhar emanava. A ninfa ficou espantada com a primeira afirmação do garoto, mas também corada como se o fato de vê-lo sem camisa o deixasse com os mesmos pensamentos.

- Eu entendo que devia nos temer pela previsão, sei o que meus olhos são capazes de fazer e eu agradeço por ter cuidado de mim. – Ela tentava a todo custo desviar o olhar dele, como se tentasse se forçar a quebrar o encantamento natural que elas exalavam para os homens. – Não achei que um garoto sofreria com o encanto de uma ninfa.

- Sou garoto em idade e aparência, mas sou um Homem em minhas atitudes, e foi o que me fez lhe ajudar quando estava quase morta. – Tais palavras soaram rudes, mas foi o suficiente para calar a ninfa, ele não poderia ouvir muito mais sem tentar tê-la. – A propósito, porque você estava daquela maneira?

Ele percebeu que ela olhou ao redor com receio e então caminhou até uma árvore, onde tocou a palma de suas mãos em uma delas e proferiu pequenas palavras que só podiam ser encantamentos e naquele momento o vento que circulava cessou e as árvores ficaram silenciosas, foi nesse momento que ela olhou para ele e sua expressão ficou mais aliviada. – Agora estamos isolados de outras magias, ninguém vai poder ouvir o que vamos falar. Primeiro, onde a noite houve uma guerra no centro da floresta entre várias raças... Nós ninfas lutamos bravamente contra magos e feiticeiros, queríamos apenas proteger a fonte...

- Que fonte é esta? – Lucien indagou.

- A fonte das ilusões...


Lucien Ford
A ilusão está nos olhos de quem vê
18 anos ♦ Ilusionista ♦ Harsnok
avatar
Informacion
Mensagens : 34
Data de inscrição : 25/11/2012
Localização : Cidade de Kraft

Ficha do personagem
Raça: Humano
Classe:: Ilusionista
Ofício:
Ver perfil do usuário
Ilusionistas

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Lucien Ford em Qui Nov 29, 2012 7:42 pm
Capítulo 4


O dia surgiu despertando os dois jovens, Lucien tentou dormir a todo custo, mas não conseguia, sua mente estava dividida sobre essa tal fonte da ilusão e passar a noite possuindo o corpo da ninfa Tiffany. Com os olhos fundos ele senta-se no chão e resmunga.

- Porque uma ninfa, porque não uma bruxa ou qualquer outra?

Tiffany acordou tão silenciosamente que parecia que ela não havia dormido, estava completamente livre de ferimentos como mágica, e aquilo só ajudou a aumentar o desejo de Lucien. Ele levantou e fora buscar sua camisa, ao voltar a ninfa está de pé e ele a encara e cruza os braços.

- Hora de me explicar sobre esta tal fonte das ilusões.

Ele percebeu que ela ficou inquieta, passando as mãos pelos cabelos e então ela o encara, e seu olhar era de dor, fazendo o garoto se revirar por dentro, tentando disfarçar sua demonstração de desejo por aquela ninfa, então como se ela tivesse notado ela cora e fala observando as árvores.

- A muitas eras, havia uma fonte em uma cidade de paz, muito antes de a guerra surgir, muito antes do mundo ser o que era hoje. Esta fonte concedia desejos para os moradores dessa cidade, suas pequenas ilusões se tornavam reais, e eles viviam felizes com isso. – Ela fez uma pausa, como se revivesse aqueles momentos felizes e então continuou. – Um dia um grupo de homens chegou àquela cidade e usaram suas ilusões demoníacas com a fonte, trazendo o caos para este mundo...

Ela parou de falar o olhou para trás com uma expressão assustada e ela se levantou indo para trás de Lucien e o abraçando. Aquele movimento involuntário o levou a uma excitação acima do controle e ele se viu completamente corado.

- O... O que você está fazendo? – Ele diz cortando a voz e olhando para onde ela havia olhado antes, esperando o que quer que tenha vindo de lá.

- Me acharam...


Lucien Ford
A ilusão está nos olhos de quem vê
18 anos ♦ Ilusionista ♦ Harsnok
avatar
Informacion
Mensagens : 34
Data de inscrição : 25/11/2012
Localização : Cidade de Kraft

Ficha do personagem
Raça: Humano
Classe:: Ilusionista
Ofício:
Ver perfil do usuário
Ilusionistas

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Lucien Ford em Dom Dez 02, 2012 12:02 pm
Capítulo 5


O som de passos aumentava e Tiffany apertava Lucien cada vez mais, temendo o que quer que estivesse atrás dela naquele momento. Lucien teve de forçar sua concentração e olhou ao redor, ele sabia que não poderiam encontra-la, e involuntariamente ele não queria se livrar dela, queria tê-la sempre por perto, mais próximos do que estavam. Observou uma árvore a sua frente, coberta de arbustos e teve uma ideia. Levou suas mãos ao chão e se concentrou em uma ilusão, uma das primeiras que ele aprendeu, e prontamente ele se viu tornarem-se árvore e arbustos, caule e folhas, totalmente misturados à floresta.

- Vo... Você é um ilusionista? – Lucien ouve Tiffany sussurrar. Ele faz um leve aceno com a cabeça, não teve tempo de falar, pois logo os arbustos se mexeram, revelando duas figuras vestidas de negro. Um homem e uma mulher, ambos com uma espécie de cajado nas mãos e um olhar de várias cores. Lucien já ouvira falar daquelas pessoas, feiticeiros, onde as cores de seus olhos revelavam que haviam sido possuídos por vários espíritos demoníacos. Eles olhavam ao redor e por um segundo fixaram o olhar na direção de Lucien. Ele sabia que não seriam descobertos, geralmente suas ilusões mexiam com a mente e nunca com magia, logo eles não poderiam sentir mágica ali.

- Onde ela foi? Disseram que ela havia usado mágica neste lugar. – O homem falava com mais de uma voz, seus demônios urravam toda vez que ele abria a boca.

- Ela deve ter usado a magia para nos enganar, temos de acha-la antes que as ninfas comecem a contra-atacar. - A mulher também falava por mais de uma voz, seus demônios eram mais aterrorizadores que os do homem.

Eles voltaram pelo mesmo caminho que vieram, mas ainda sim Lucien permaneceu em sua ilusão até que a Lua surgisse no céu. Novamente visíveis, ela o soltou e sentou-se no chão, um pouco distante dele e levou as mãos à boca.

- E... Eles queriam me matar. – Tiffany estava um pouco perturbada com aqueles dois feiticeiros, Lucien também nunca vira um feiticeiro, mas nunca ouvira falar de que tantos demônios poderiam habitar um único corpo mágico. Ela volta a encarar o garoto e sua expressão muda para uma espécie de raiva. – Porque não me disse que era Ilusionista?

Lucien ainda pensativo volta a encará-la e todo aquele desejo retorna, apenas com o relance do brilho dos seus olhos.

- Você nunca perguntou, mas eu sou sim um ilusionista.

Ele percebe que algo fica diferente nela, ela o encara de uma forma confortável e então suspira aliviada e depois olha para as árvores e seu rosto cora.

- Você é muito bom, conseguiu enganar aqueles dois... – Ela para de falar, como se mentalmente pensasse em algo e volta a olhar para ele. – Vamos dormir.

Naquela noite eles não acenderam a fogueira, dormiram sobre uma árvore, a mesma que Lucien havia usado como ilusão. Ele dormia distante, e lembra-se de ouvir pequenos passos e um cheiro doce se aconchegando sobre seu corpo. Quando este abriu os olhos ele viu longos cabelos negros caído sobre seu rosto e uma face tão linda que ele estava sonhando, foi quando se deu conta que era Tiffany, despida olhando para ele e se deitando para lhe dar um beijo.

- Você é meu campeão, Ilusionista.

Ao dizer isto ela lhe beijou, e naquela noite Lucien a tomou para si, possuindo-a sob aquela árvore que mais cedo salvou sua vida...


Lucien Ford
A ilusão está nos olhos de quem vê
18 anos ♦ Ilusionista ♦ Harsnok
avatar
Informacion
Mensagens : 34
Data de inscrição : 25/11/2012
Localização : Cidade de Kraft

Ficha do personagem
Raça: Humano
Classe:: Ilusionista
Ofício:
Ver perfil do usuário
Ilusionistas

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Lucien Ford em Ter Dez 04, 2012 8:29 pm
Capítulo 6


No dia seguinte Lucien levanta renovado, ele estava preocupado por causa das lendas, mas se surpreendeu por ainda estar inteiro e vivo. Tiffany dormia a seu lado, ambos estavam exaustos pela noite passada. Fora uma experiência única, e naquele momento Lucien se viu ligado a Tiffany de uma forma que ele nunca imaginou acontecer com nenhuma garota (ou ninfa). Ele levanta devagar e põe sua roupa de volta, as árvores ao lado estavam silenciosas demais, exceto por um único som, uma respiração forçada e num segundo uma voz que para Lucien foi como se sua pele estivesse sendo perfurada por facas.

- Noite agitada mortal?

No mesmo minuto ele pula para trás, ainda sem camisa e amarrando seus calções e da de cara com um homem um pouco mais velho que ele próprio, mas seus olhos mostravam que ele tinha aquela aparência há muito tempo, muitos anos ou até mesmo séculos atrás.

- Quem... Quem é você? – O garoto fora pego despreparado, estava vulnerável, ainda mais com Tiffany tão próximo a aquele ser.
- Fique tranquilo, estava caçando alguma coisa noite passada e por um acaso vi vocês dois meio as folhas e decidi não atrapalhar... Agora vejamos, não era para ambos estarem mortos?

Lucien também se perguntava isso, pois pela primeira vez ele havia se deitado com uma garota, não por apenas possuí-la, e sim por causa de algo dentro dele que o impulsionava a fazer aquilo, e era mais do que a carne, era algo do instinto, mas logo seus pensamentos voltam para o homem misterioso.

- Quem é você? E o que faz aqui? – Agora ele estava começando a raciocinar. Aquele homem era um perigo, ainda mais sem saber o que ele realmente era, pois uma coisa era certa, ele não era humano.
- Me chamo Vlad... Vlad IV, sou um vampiro, estou aqui de passagem, estava saindo de perto desta guerra que ocorre neste momento na floresta inteira.

Lucien repara que Tiffany está acordando e ele joga sua camisa para cobri seu corpo despido. Um vampiro. Ele encara o estranho sugador de sangue e se pergunta o quanto ele viu noite passada, e o quanto ele ouviu. A ninfa olha pra si mesma como se realmente temesse ter morrido e ao ver Lucien ela sorri de forma aliviada, mas logo percebe o estranho e se cobre com a camisa, um olhar aterrorizador. O vampiro sorriu olhando na direção dela e depois olha para Lucien, ficando em pé e encarando o garoto de forma firme.

- Então temos um campeão... Vistam-se logo.

- Onde pretende nos levar?
- Não é óbvio? Até a fonte das ilusões...


Lucien Ford
A ilusão está nos olhos de quem vê
18 anos ♦ Ilusionista ♦ Harsnok
avatar
Informacion
Mensagens : 34
Data de inscrição : 25/11/2012
Localização : Cidade de Kraft

Ficha do personagem
Raça: Humano
Classe:: Ilusionista
Ofício:
Ver perfil do usuário
Ilusionistas

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Lucien Ford em Seg Jan 28, 2013 2:16 pm
Capítulo 7


Os três jovens entravam cada vez mais na floresta negra. Vlad guiava-os enquanto Lucien andava com Tiffany o mais perto dele possível. Não confiava no vampiro, mas ela apenas acenou quando ele falou que os levariam até a fonte, e pelo visto ela conhecia o caminho, então o jovem não falou nada em negação. A medida que adentravam a floresta se tornava mais e mais escura.

- Porque um vampiro anda a luz do dia? – Lucien quebrou o silêncio, um tanto irritado.

- Sou um vampiro a mais tempo que essa árvore existe nessa floreta. – Vlad apoia a mão em um tronco e volta a falar. – Aprendi uns truques de sobrevivência.

Eles continuaram a caminhar e logo escureceu. Vlad fez uma fogueira e depois sumiu meio as sombras.

- Ele vai voltar... Sempre volta... – Tiffany falou pensativa, atraindo a atenção e um sentimento novo em Lucien... Ciúmes...

- Como assim ele sempre volta? Há quanto tempo conhece esse Vlad? – Certa irritação pairava nas perguntas do jovem, que se aproximou da ninfa e a tomou nos braços, ansioso pelo momento em que iriam ficar a sós novamente. Ele andou com ela em seus braços até uma árvore próxima e beijou os lábios dela, saboreando cada momento, cada gota e segundo de um sentimento tão forte que brotava no peito do jovem ilusionista. A ninfa enroscou as pernas contra o tronco do garoto e retribuiu o beijo, pressionando seu corpo contra a excitação no jovem, que desamarrou seu calção e a tomou para si mais uma vez, contra aquela árvore, a sós, quando a única coisa que se poderia ouvir era a voz dela.

- Meu campeão...

Algumas horas depois ambos estavam deitados entre as folhas e um cheiro de comida inundava o lugar. Lucien olhou para a fogueira e viu Vlad, assando alguns coelhos, resultado de uma caçada do vampiro. O jovem se levanta ainda pelado e recoloca sua calça, enquanto a ninfa permanece dormindo. Lucien se senta próximo a fogueira e olha para o vampiro enquanto sorri maliciosamente.

- O que tem em mente? Sempre aparece depois que tenho um momento com a ninfa...

- Interessante sua pergunta rapaz...

Nesse momento o vampiro pulou na direção do ilusionista, acertando um soco no rosto do garoto e rolando no chão, antes de se levantar e encarar o garoto com uma malícia no olhar.

- Vamos ver quanto tempo permanece vivo...


Lucien Ford
A ilusão está nos olhos de quem vê
18 anos ♦ Ilusionista ♦ Harsnok
avatar
Informacion
Mensagens : 34
Data de inscrição : 25/11/2012
Localização : Cidade de Kraft

Ficha do personagem
Raça: Humano
Classe:: Ilusionista
Ofício:
Ver perfil do usuário
Ilusionistas

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Lucien Ford em Ter Jan 29, 2013 1:36 pm
Capítulo 8


Lucien rolou no chão e se apoiou nos braços, cuspindo o sangue que escorria em sua boca. Ouvindo o que o vampiro falou, o jovem tentou se levantar, mas Vlad foi mais rápido e chutou o estômago do garoto, que se curvou de dor enquanto tentava respirar, algo em vão. O vampiro sorriu enquanto levantou o garoto pelo pescoço enquanto falava secamente.

- Não pode ser um campeão agindo dessa forma... – E arremessou o garoto contra uma árvore.

O ilusionista caiu no chão sentindo as dores no seu corpo, o sangue escorrendo de seus lábios, mas ele reparou que Tiffany continuava dormindo, como se não ouvisse nenhum som, o que era provável, já que Lucien não conseguia dizer nada, cada vez que tentava sentia uma enorme dor em seu corpo. Já de pé o garoto olha ao redor e percebe que Vlad não está lá, até que o vampiro aparece e suspende o jovem pelo pescoço e ri. Tal risada morre quando Lucien segura a mão dele na face do vampiro e pensa em algo inédito. O vampiro olha nos olhos do ilusionista e na mesma hora solta o jovem se contorcendo de dor, levando as mãos ao rosto enquanto grita. O ilusionista se mantém de pé quando olha para sua mão e observa uma cruz, ilusão, mas que com o contato visual foi o efeito que precisava. Vlad continuava gritando de dor, sua mente presa à sensação quando Lucien correu e cerrou suas mãos em uma nova ilusão, acertando um soco no estômago do vampiro, sua mão estava envolta numa luva com outra cruz, arrancando outro grito seguido do vampiro se curvando em dor. Lucien aproveitou e desferiu um chute na face do vampiro, que caiu ainda agonizando de dor. Nesse momento o ilusionista estendeu ambas as mãos, onde ilusões de cruzes apareciam, e iria coloca-las contra o rosto do vampiro quando sentiu um par de mãos o envolverem, um cheiro bom, e o volume dos seios em suas costas e aquela voz doce dizendo calmamente.

- Não... Ele estava testando-o...

Lucien a princípio se recusa a acreditar, mas logo em seguida deixa a ninfa o afastar do jovem, onde cancela sua ilusão, fazendo Vlad se sentar e respirar forçadamente, pondo as mãos no rosto como se verificasse que aquilo tinha sido real ou não. Ele logo volta a olhar para Lucien e Tiffany e se levanta devagar, ainda sentindo o efeito da ilusão e então fala calmamente.

- Você é bom... Surpreendeu-me garoto...

Mancando o vampiro se afasta para a fogueira e a ninfa leva Lucien até um rio longe, enquanto proferia encantamentos e magias que curavam o garoto internamente. Já na beira do lago a ninfa deita Lucien e banha o jovem devagar, passando a água nos lugares machucados e então se senta no colo dele, beijando os lábios dele lentamente. Num momento de deslize ambos tombam no rio e ela o envolve nos braços e o beija novamente, dessa vez proferindo uma palavra diferente.

- Eu te amo...

Depois de algumas horas ambos se levantam da beira do lago, pelados e cansados, pelo menos Lucien se sentia renovado, com o corpo revigorado e com um sentimento mais forte em seu peito... Tiffany o amava e ele permanecia vivo... Ela se levanta e cobre os seios quando olha para Lucien e fala quase que adivinhando o pensamento dele.

- Vlad é... Bem... Ele é o meu guardião...


Lucien Ford
A ilusão está nos olhos de quem vê
18 anos ♦ Ilusionista ♦ Harsnok
avatar
Informacion
Mensagens : 34
Data de inscrição : 25/11/2012
Localização : Cidade de Kraft

Ficha do personagem
Raça: Humano
Classe:: Ilusionista
Ofício:
Ver perfil do usuário
Ilusionistas

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Conteúdo patrocinado
Informacion
Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Informacion